Cresce incidência de câncer de colo de útero na Bahia

seta-subindoO câncer de colo de útero é o segundo tipo que mais atinge as mulheres na Bahia, seguido de perto para o tipo mais comum: o câncer de mama. Segundo estimativas do Instituto do Câncer (INCA), este ano cerca de 18 mil mulheres vão sofrer deste mal no Estado; sendo que a doença deve atingir 5.600 pacientes em Salvador.

Segundo a ginecologista Luciana Pitta, ginecologista da clínica CAM, embora a doença tenha vários fatores de risco – alguns dos principais estão associados às baixas condições sócio-econômicas, ao início precoce da atividade sexual, à multiplicidade de parceiros sexuais, ao tabagismo, à higiene íntima inadequada e ao uso prolongado de contraceptivos orais -, esta é uma doença que tem 100% de cura, quando identificada precocemente.

A principal estratégia utilizada para detecção precoce do câncer no Brasil é através da realização do exame preventivo do câncer do colo do útero (conhecido popularmente como exame de Papanicolaou).

A luta para levar a informação para um maior número de mulheres mobiliza o país no próximo dia 8 de abril, quando acontece o “Dia Mundial de Combate ao Câncer”. Em Salvador várias atividades estão programadas. 

 No dia 8, na sede da clínica CAM, no Itaigara, haverá uma palestra gratuita e aberta ao público sobre “Prevenção do câncer ginecológico e suas repercussões psicológicas”, proferida pelas médicas Luciana Pitta e Neide Scaldaferri.

Sobre a prevenção, Pitta alerta para o uso de preservativos, evitando assim, o contágio pelo vírus do papiloma humano (HPV), pois o vírus tem papel importante no desenvolvimento da neoplasia das células cervicais e na sua transformação em células cancerosas. Este vírus está presente em mais de 90% dos casos de câncer do colo do útero.

O exame preventivo do câncer do colo do útero (exame de Papanicolaou) consiste na coleta de material citológico do colo do útero e as mulheres grávidas também podem realizar o exame. “Para não comprometer o resultado, a mulher deve evitar relações sexuais, uso de duchas ou medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores ao exame. Além disto, o exame não deve ser feito no período menstrual”, alerta a especialista. As pessoas que desejam participar dos eventos da CAM devem ligar para o número (71)3183-3307 e procurar Daniele.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: