Cuidado com as “pílulas da beleza”

Com o lançamento de pílulas compostas por nutrientes que prometem prevenir o envelhecimento da pele, torná-la mais firme e inibir rugas, muitas dúvidas surgem sobre a sua eficácia e indicação. A Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional São Paulo (SBD RESP) reconhece o papel desses produtos, mas faz uma ressalva: “Os chamados nutracêuticos precisam de indicação médica, pois no caso de problemas de pele, unhas ou cabelos, só um médico poderá orientar o paciente, descartando doenças e eventualmente complementando o tratamento com outras medidas”, afirma a Dra. Flávia Addor, dermatologista e diretora da SBD RESP.

Para ela, é necessário ter cautela ao consumir esses produtos, porque muitas vezes são lançados e propagados como a “solução definitiva” ou “total”, mas geralmente são indicados como complemento de tratamentos. “Embora os produtos novos tenham sua eficácia, há nutracêuticos antigos excelentes e consagrados. A idéia de consumir nutrientes em doses terapêuticas ou de extratos de nutrientes com ação farmacologia é antiga, usada há mais de três décadas, sobretudo para desvios leves relacionados à pele e aos cabelos, como a queda de cabelo relacionada à dieta. O termo ‘nutracêutico’, sim, é relativamente novo”.

Segundo a médica, consumir nutrientes em cápsulas sem indicação médica pode levar à hipervitaminose ou à interação com drogas que o individuo esteja tomando, ou ainda à piora dos estados cutâneos. “A vitamina B12, por exemplo, piora a acne”, diz. E lembra que o médico dermatologista também está apto para diagnosticar outros problemas, descartar desnutrição e dizer se medidas nutricionais serão suficientes para melhorar a pele.

É importante salientar, portanto, que as chamadas “pílulas da beleza” não são milagrosas e seus resultados dependem também de uma boa alimentação, do uso contínuo de protetor solar e de uma boa qualidade de vida com exercícios e sem estresse. “O cuidado que está mais bem documentado por estudos científicos para prevenção do envelhecimento da pele é o uso constante de protetor solar. A exposição ao sol sem proteção pode levar à perda da elasticidade, ao ressecamento, ao aparecimento de manchas, rugas etc”, sentencia.

Estudos que comprovam sua eficácia são poucos, em que a única variável é o uso do nutracêutico. “Na prática, é bem difícil observar e quantificar a melhora, pois geralmente, associamos vários tratamentos, em que o nutracêutico é um complemento. Há inúmeras variáveis ambientais e dietéticas que influenciam no resultado dos nutracêuticos, como tabagismo, poluição, estresse emocional, doenças, medicamentos, alimentação mais ou menos calórica, gordurosa, com proteínas, presença de doenças como diabetes, problemas de tireóide ou absorção intestinal, entre outras”, explica a médica.

Anúncios

Distúrbios hormonais e psicológicos podem causar acne

Odiada, sobretudo pelas mais novinhas, a acne é um dos sinais mais evidentes da puberdade, em razão da variação das taxas hormonais. Entretanto, ela não ocorre apenas nessa faixa etária e pode ser desencadeada por diversas causas, como desequilíbrios hormonais e fatores psicológicos.

As maiores responsáveis pelo surgimento da acne são as glândulas sebáceas, que têm a função de produzir sebo e gerar a oleosidade necessária para proteger a pele. O problema surge quando essas glândulas produzem sebo em quantidades excessivas, promovendo a proliferação de microorganismos e a inflamação da pele. Decorrente dessa inflamação, a acne é composta por diversas manifestações, como cravos, espinhas, cistos, caroços e cicatrizes.

Quanto à localização, a acne surge com maior freqüência na face, no peito e no dorso, onde o número de glândulas sebáceas é maior. Entretanto, outros locais também podem ser acometidos.

A acne geralmente surge na puberdade. Nas moças, é mais freqüente dos 14 aos 17 anos, enquanto nos rapazes surgem um pouco mais tarde, entre os 16 e os 19 anos. “A maioria dos casos de acne se resolve espontaneamente na 2ª década de vida, mas sabe-se que em algumas pessoas o problema pode persistir por um período bem maior. Estudos recentes demonstram que 1% dos homens e 5% das mulheres são acometidos pela acne na idade adulta, sendo que, em raras situações, ela pode surgir apenas nessa fase da vida”, afirma o endocrinologista Cristiano Roberto Grimaldi Barcellos, do Hospital Professor Edmundo Vasconcelos.

“Na fase adulta, a acne surge principalmente em mulheres com distúrbios endocrinológicos caracterizados pelo excesso de hormônios masculinos (andrógenos), sendo a testosterona um exemplo deles”, afirma o médico. Entre as situações caracterizadas pelo excesso de andrógenos estão:

– Uso de medicamentos que contenham andrógenos (preparados utilizados em tratamentos estéticos ou ginecológicos) e esteróides anabolizantes;
– Síndrome dos ovários policísticos;
– Hiperplasia congênita da glândula supra-renal;
– Tumores nos ovários ou nas supra-renais.

A acne, em geral, pode ser explicada pela predisposição genética ou por uma tendência hereditária. Desse modo, os indivíduos cujos pais têm ou tiveram acne possuem maior chance de apresentar esse quadro. Também é conhecida a associação entre distúrbios psicológicos e o surgimento de espinhas. Entretanto, os mecanismos pelos quais os fatores emocionais promovem o aparecimento delas ainda não foram completamente elucidados.

Algumas dicas para evitar e combater a acne:

1) Procure hidratar o rosto sempre que possível durante o dia e seque-o bem com um pano limpo;
2) Nunca esprema as espinhas, o que agride a pele, podendo contaminá-la e causar lesões ainda piores;
3) Evite o uso de roupas que promovam atrito na pele, principalmente nos casos de acne nas costas e nos ombros;
4) O papel da alimentação na acne é controverso. Ao contrário do conhecimento popular, não há evidências científicas seguras de que o consumo de chocolate e outros alimentos gordurosos causem o aparecimento de acne. Por outro lado, recentes estudos demonstraram que o consumo de açúcar está associado ao surgimento do problema;
5) Óleos e tintas contidos em produtos para cabelos e cremes cosméticos podem provocar irritações na pele e piorar a acne. Assim, procure utilizar produtos à base de água, os quais promoverão menos irritação;
6) Exercícios físicos ajudam a reduzir os níveis de estresse e aumentam a oxigenação do corpo, beneficiando a pele.

Fundação oferece atendimento gratuito para problemas de pele, cabelo e unha

São Paulo conta há dois anos com serviço médico gratuito para a população com problemas de pele, cabelo e unha. Instalada no Pacaembu, a Fundação Pele Saudável atua em duas frentes: oferecendo atendimento médico gratuito para pessoas com doenças dermatológicas e oferecendo oportunidade de realizar um curso de pós-graduação para médicos.

O tratamento não é somente para a população carente. Qualquer pessoa, independente de sua classe social, pode ser atendida. Para tanto basta marcar uma consulta pelo telefone, sendo os atendimentos divididos em dois períodos, com 30 médicos em cada. O mais bacana é que o tratamento é gratuito!

Quanto ao curso de pós-graduação, os fundadores da entidade afirmam estar preocupados em atender aos milhares de estudantes de medicina, recém-formados, que estão sem possibilidade de fazer residência. No Brasil, existem 128 escolas de medicina e formam-se 20 mil médicos ao ano. Destes, aproximadamente, 5 mil não conseguem vaga para a pós-graduação. O curso oferecido na fundação é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).